Porque controlar o acesso à internet nas corporações?

in controle, internet, proxy, segurança

O controle no acesso a Internet em ambiente corporativo é uma tema bastante controverso. Algumas pessoas insistem em dizer que os profissionais contratados por uma empresa têm direito a privacidade no acesso a Internet. Sem levar em consideração que um contrato de trabalho foi assinado e que as atividades são exercidas em nome da empresa em seu ambiente físico e utilizando-se de recursos da empresa. Desde que a proibição seja exposta de forma clara no contrato de trabalho ou no regulamento da empresa, o acesso a conteúdos vedados pode levar à demissão justificada por incontinência de conduta ou mau procedimento. Conforme prescreve o artigo 482, 'b', da Consolidação das Leis Trabalho, o funcionário pode ser despedido em decorrência de violação do código de conduta da empresa, por uso impróprio do equipamento profissional. Neste caso se ele, utilizando a internet, infecte o equipamento e o coloque em risco, é provável que o equipamento deverá ir para manutenção em breve. Contudo, a alegação das empresas é bastante convincente: minimizar os riscos de vírus, trojans e outras pragas da Internet e aumentar a produtividade. Quando um ato ilícito é cometido a partir de computadores de uma empresa ou utilizando seu e-mail corporativo, por exemplo, ela será judicialmente responsabilizada. Quando se fala em e-mail corporativo, acaso tais mensagens eletrônicas ocasionem lesão a direito de terceiro, responderá objetiva e solidariamente o empregador pelos danos ocasionados por seu empregado, na forma do que prevê o artigo 932, III, do Código Civil, motivo ainda pelo qual poderá o empregador exercer controle sobre a emissão e destinação das mesmas. Caso a empresa decida por restringir o acesso à internet aos funcionários da empresa, não pode esquecer-se de conscientizá-los através de um Relações Públicas antes da implantação sobre importância de se proteger o patrimônio da empresa. Mostrar ao funcionário que não se trata de uma restrição somente, mas uma forma de garantir a segurança das informações da empresa e auxiliar na redução de custos. ESTATÍSTICAS: Pesquisas realizadas nos últimos anos têm demonstrado pelo tipo de site acessado que a produtividade dos funcionários que têm acesso irrestrito a Internet em ambiente de trabalho é baixa. Segundo o documento "Internet Filtering Alternatives White Paper"(SOFTWARE, 2005), quando trata de estatísticas de abuso na Internet: - Acesso a sites de sexo foi reportado por 62% das organizações (PC Week); - Acesso a Internet em ambiente de trabalho gera cerca de 30 a 40% de queda de produtividade (IDC Research); - Cerca de 70% de todo o tráfego pornográfico na Internet ocorre no horário de 9h as 17h (SexTracker); - 32,6% dos empregados não tem objetivo específico quando acessam a Internet (eMarketer.com); - Um em cada cinco homens e uma em cada oito mulheres admitiram utilizar seus computadores do trabalho como principal equipamento em que acessam conteúdos ligados a sexo (MSNBC); - Usuários de Internet no escritório utilizam-se da vantagem de conexões em alta velocidade para acessar sites de entretenimento como broadcast.com e mp3.com mais frequentemente que em suas casas (Nielsen/Net Ratings); - 82% dos executivos de negócios dos Estados Unidos consultados pela empresa de consultoria Dataquest (uma divisão do Gartner Group) acreditam que o uso da Internet deveria ser monitorado em suas companhias (InformationWeek Online). Fonte: SOFTWARE, S. B. Internet Filtering Alternatives White Paper. 2003. Http://www.stbernard.com/products/docs/Internet_Filtering_Alternatives.pdf. Visitado em fevereiro de 2005. Vale ressaltar, no entanto, que o simples bloqueio de algumas atividades não coíbe a prática de ações Ilícitas através dos computadores corporativos. É necessário investir em um sistema que englobe várias ferramentas que atuem limitando o acesso destes usuários a diferentes tipos de programas e conexões. Hoje, em Lages, já existem empresas que implementam a solução de Controle de Acesso e dão consultoria na área. Um de seus clientes concordou em falar das vantagens do controle de acesso em sua empresa. A Zanoello e quem fala sobre o assunto é Andrei, gerente do CPD da empresa. 8 BONS MOTIVOS PARA CONTROLAR O ACESSO À INTERNET NAS CORPORAÇÕES 1) Aumento da produtividade 2) Redução drástica de infecção por vírus nos computadores. 3) Economia de gastos com formatação. 4) Segurança maior para o setor financeiro, impedindo roubo de senhas bancárias da empresa. 5) Economia de banda do link de internet, pelo bloqueio de downloads de determnadas extensões; de acesso à alguns serviços de broadcast como vídeos e músicas e conexões P2P ( como o Kazaa, Ares, E-mule) 6) Redução da utilização do link de internet através do cache local das páginas já visitadas. 7) Evita-se a disseminação de dados sigilosos da empresa. 8) Controle do Acesso de softwares de mensagens instantâneas.